OS MÉTODOS DE CUSTEIO DISCUTIDOS NA LITERATURA SÃO OS MESMOS USADOS NA PRÁTICA EM HOSPITAIS?

Katia Abbas, Kelly Cristina Mucio Marques, Joyce Menezes da Fonseca Tonin, Maiara Sasso, Maury Leoncine

Resumo


Esta pesquisa teve como objetivo apresentar um estudo comparativo entre os métodos de custeio utilizados por hospitais do Paraná e as pesquisas apresentadas na literatura nacional, no período de 2004 a 2013, publicadas nos congressos da área de Contabilidade. Foram analisados 37 artigos. O universo de pesquisa dos hospitais contemplou aqueles de médio e grande porte, localizados nas três maiores cidades do estado do Paraná segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Conseguiu-se um total de quatorze respostas para a análise. No caso dos artigos publicados na literatura, o mais enfatizado foi o ABC e nos hospitais o mais utilizado foi o absorção integral, mostrando haver uma lacuna entre o que os pesquisadores vêm estudando e o que os hospitais estão fazendo. Os resultados evidenciaram a carência de estudos que abordem as possíveis explicações por traz da adoção de determinado método, ou ainda, por que um método não vem sendo utilizado com mais frequência, como o ABC, tão discutido na literatura sobre métodos de custeio em hospitais.

Palavras-chave


Métodos de custeio; Custos em hospitais; Custos para decisão

Texto completo:

PDF


 

 

  Revista ABCustos - ISSN 1980-4814

  Associação Brasileira de Custos, São Leopoldo, Rio Grande do Sul, Brasil

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia