DIFERENTES BARREIRAS À ANÁLISE DO CUSTO TOTAL PARA OS CONSUMIDORES

Juliana Ventura Amaral, Márcia Figueredo D’ Souza

Resumo


A necessidade de avaliar todos os custos relacionados a uma aquisição, embora já promulgada por estudiosos de compras desde o começo do século XX, passou a fazer parte do currículo de cursos de negócios há apenas três décadas. A expansão do conceito para a prática foi mais tardia ainda e, até a atualidade, pode-se constatar que a análise do custo total para os consumidores (CTC) permanece limitada. Considerando que a análise do CTC permite que os clientes aprimorem suas escolhas de aquisições e de relação com os fornecedores e que os fornecedores encontrem alternativas para produzir bens e serviços otimizadores da relação utilidade-custo do seu cliente, é relevante entender quais fatores dificultam sua implantação nas entidades. Partindo de conceitos apresentados pela teoria institucional, pela contabilidade mental e pelo marketing, este estudo coloca-se na modalidade de ensaio teórico e levanta as principais barreiras que impedem que a análise de CTC transcenda as discussões acadêmicas e passe a ser o verdadeiro guia às decisões de compra e de venda das entidades. Além disso, considerando as barreiras encontradas, este ensaio debate se clientes intermediários, consumidores finais ou fornecedores tendem a analisar o CTC em diferente extensão e se a terminologia custo total para os consumidores é a melhor expressão para designar o significado do termo.

Palavras-chave


Custo Total para os Consumidores. Teoria Institucional. Contabilidade Mental. Valor.

Texto completo:

PDF


 

 

  Revista ABCustos - ISSN 1980-4814

  Associação Brasileira de Custos, São Leopoldo, Rio Grande do Sul, Brasil

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia