GESTÃO DE CUSTOS NA PISCICULTURA NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE MÉDICI – RONDÔNIA – BRASIL

Jerônimo Vieira Dantas Filho

Resumo


Investigou-se a gestão de custos de implantação e de produção na piscicultura familiar do município de Presidente Médici–RO. Trata-se de pesquisa exploratória e descritiva, por meio de entrevistas junto aos piscicultores da região. O estudo foi desenvolvido por meio da descrição do custo de implantação e de produção, vendas, verificação de lucratividade, detecção de parasitos e de práticas sustentáveis. Foi averiguada uma área total de 56.000 m2 (metros quadrados) de lâmina d’água distribuídos em 23 tanques, com custo médio de construção de R$ 3,03 por m² (metro quadrado). O custo de implantação das pisciculturas foi R$ 180.910,67. Todos os piscicultores cultivavam apenas tambaqui (Colossoma macropomum). O investimento na aquisição dos alevinos representou 0,96% do custo total. Os gastos com arraçoamento representaram 70,2% do custo de produção total. Os maiores investimentos foram em equipamentos como bombas d’água, aeradores e redes de captura. O preço médio recebido foi de R$ 5,10 por kg (quilo). Pelo exposto, pôde-se averiguar por meio dos resultados que quanto mais se investe em qualidade, mais resultados positivos podem ser obtidos. É recomendável implementar boas práticas no manejo para aumentar a produtividade e reduzir os problemas fitossanitários para diminuir o impacto nos rios da região, garantido a sustentabilidade da produção.Portanto, manter o controle da gestão de custos no processo produtivo é garantia de manter-se no mercado competitivo do pescado que se encontra em expansão.

Palavras-chave


Lucratividade. Sustentabilidade. Tambaqui.

Texto completo:

PDF

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia