ANÁLISE DE EFICIÊNCIAS TÉCNICA E DE ESCALA DAS INDÚSTRIAS DO PÓLO MOVELEIRO DE UBÁ

Ana Cristina Miranda Rodrigues, Suely de Fátima Ramos Silveira, Daphine Alberti de Freitas, Marco Aurélio Marques Ferreira, Luiz Antônio Abrantes

Resumo


As organizações devem conhecer os custos e as despesas de suas operações para estruturar um modelo de formação de preços e tomar decisões mais acertadas, além de estabelecer estratégias de segmentação de mercado e gerar lucro. Entretanto, as indústrias do setor moveleiro de pequeno e médio portes, como, também, as microempresas desta atividade, tendem a ter alguma estrutura de controle de custos, porém, não totalmente sistematizada. Considerando a relevância do Pólo Moveleiro de Ubá, onde existe a predominância de indústrias desses portes, uma questão foi levantada: Qual o nível de eficiência dessas indústrias? O objetivo deste trabalho foi, portanto, analisar as eficiências técnica e de escala das indústrias do Pólo Moveleiro de Ubá, em 2007, a partir dos custos de produção. Constatou-se que das 33 indústrias moveleiras analisadas, 4 não apresentaram problema de escala, porém não podendo aumentar o faturamento sem elevação dos custos de produção. Em relação às empresas ineficientes, 10 apresentaram apenas problemas de eficiência de escala, com a correta utilização dos insumos (custos de produção), e 19 apresentaram problemas de excesso de insumos e problemas de escala. Os resultados ainda indicaram que as empresas ineficientes poderiam aumentar o faturamento: (a) em 19%, caso utilizassem adequadamente os insumos; e (b) em 28,4% com os mesmos insumos, se estivessem operando em escala correta.


Palavras-chave


Custos de marketing. Custos nos serviços. Setor hoteleiro.

Texto completo:

PDF


 

 

  Revista ABCustos - ISSN 1980-4814

  Associação Brasileira de Custos, São Leopoldo, Rio Grande do Sul, Brasil

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia